Tá lá um corpo estendido no chão... Cheguei de viagem, fui ao banco para uns pagamentos, a Sá Ferreira interditada. Viaturas policiais, armas para fora, o povaréu se amontoando (querendo sangue?) e um corpo coberto pelo indefectível saco plástico preto. Nossa guerra diária, nossos cadáveres pelas ruas, inocentes ou não. Bala perdida é bala atirada sem alvo, sem estratégia, sem medir (?)conseqüênci...

Finais do carioca com público de pelada e artilheiro com pior índice da história desde 1911! Não vamos começar com comparações, os tempos são outros, de marcas, arenas, patrocínios, empresários, programas de rádio e TV, enfim, muuuito comércio.
Sem comparações, mas não dá pra não se referir ao tempo em que uma final levava 100 mil pessoas ao Maraca, ops, Arena não sei o quê (desculpem, não se...

É muita coisa! Desde o assassinato da Marielle, tivemos uma chacina em Maricá, outra na Rocinha, alguns assaltos registrados pelas câmeras de rua - tremendo big brother, a bandidagem agindo solta, aproveitando a crise no comando da segurança do estado.

Intervenção? Infelizmente apenas uma jogada de mestre (a se confirmar, senhor presidente, eu penso o contrário). A galera já está vacinada, e d...

É promessa de vida no meu coração...”
O título é de um samba dos 80, não lembro a escola. Escola de samba que a cada ano está mais criativa, rica, tecnológica, acelerada, e cada vez mais deslumbrante. Como programa de TV, insuperável. Ao vivo, então, é só emoção. Todas! Mas não é que o desfile das escolas tornou-se mais um, enorme, evento no carnaval carioca? As ruas se transformaram em mais um im...

Garrincha era o camisa sete; Pelé era dez; Didi, oito; Zico, dez. Jogaram pelo mesmo time quase a vida inteira, o torcedor com eles se identificava, as camisas dos times eram reconhecidas e adoradas. Hoje, a numeração não respeita mais o clássico “um ao onze”, o "craque" escolhe o número de sua camisa, ou camisola, como dizem os patrícios, e você tem a camisa quarenta, vinte e três, noventa e nove...

O ano começou conforme terminou o anterior. Muitas perguntas e poucas respostas. Aqui no Rio, a lua do ano novo foi um alívio para todos, turistas e locais. Chuva iria atrapalhar demais as festas e comemorações programadas. E dia 2 teve super lua, o astro noturno pertinho da Terra. Será prenúncio de um super ano? Precisamos demais de superar tanta coisa: a descrença, a mediocridade, ausência de ju...

Papuda, benfica

Quem vai, quem fica

Se o Gilmar deixar

O ano novo promete

No fio da gillete

O povo agradecido

Espera o melhor

Do apodrecido

Reino maior

Tem eleição com rejeição

Mas nem todo político é ladrão

Faça sua opção

Tem copa na Rússia

Mas não esqueçamos

A coisa aqui tá russa

Forças armadas

Segurança total

Comunidades tomadas

Qual!

Me diga você

Há esperança

De avançar nesse melê?

De ser criança

Sem o futuro temer?

...

Pipoca estourando na panela é o que parecem as mortes de inocentes na cidade maravilhosa e as notícias de corrupção com suas delações e traições, pelo país. Daquelas pipocas de cinema, que não param de estourar. Não tem fim. A cidade maravilhosa agora é perigosa e o país do futuro, do Brics, o país do futuro ficou com um horizonte escuro.
Na cidade, a depressão tomou conta. Assistir à ed...

Paulista sem pau é lista/Paulista sem lista é pau/Tirando o pau do paulista/Paulista fica sem pau...
Cantiga d’antão, em Parati gozávamos os paulistas ao ritmo de samba com essas músicas, nos bares da praia. Vou entrar nessa discussão de evasão da cidade com a invasão da perversidade. E essa perversidade não dá pra botar só na conta de Crivella e seu atraso, de Cabral e seu arraso. São apenas os r...

18/09/2017

As duplas, ou dobradinhas, têm tradição no país: Pelé/Coutinho, Didi/Garrincha, Tom/Vinicius, Chico/Edu, Peri/Ceci, Menescal/Boscoli, João/Maria, Leno/Lilian, Sulivan/Massadas, Roberto/Erasmo, os gringos Tico/Teco, Tom/Jerry... Aí vieram as duplas caipiras, e de Chitãozinho e Chororó, Pena Branca e Xavantinho até hoje, o país foi tomado por esta profusão de duplas. O tempo passou, a música sertane...

Choque de ordem é a operação. As calçadas da Avenida Copacabana amanheceram livres dos camelôs. Que maravilha! Ir e vir com conforto, sem ter que se desviar de nada, gente, tabuleiro ou oleado no chão. Só gente caminhando, indo e vindo. Sonho de um passado ou possibilidade atual? Passada a operação, satisfeita a autoridade (incomodada e motivadora) solicitante e a tendência é de que tudo volte ao...

Baixo astral. Geral. Sábado, em Santa Teresa, festa no play do prédio, mór barato. De repente, sete bandidos entram e acabam com a festa. Carteiras e celulares. Na quarta feira o assalto foi no bar da Fatinha. O bar do Serginho já é roteiro da bandidagem no bairro. Assaltos são frequentes , nas ladeiras, no Guimarães, em todo canto.
Na avenida Copacabana, no meu quarteirão, um hotel é armado a cad...

Em viagem, o contato se fazia por carta e, eventualmente, por telefone. Ambos demoravam a chegar.
Uma ligação telefônica interestadual ou internacional era agendada, e frequentemente não conseguia se completar e, quando se conseguia, pouquíssimo se ouvia > ou se entendia. Uma carta demorava alguns dias, ou semanas, para chegar ao destino. Dava saudades. Distância, falta de contato, de notícias, er...

Comemoração do carnaval com a bateria do bloco. Morro do Rio, zona central, onde moram alguns dos componentes da bateria. A chapa anda quente em todos os cantos e os morros, sabemos todos, voltaram a ser território sem ordem, UPPs dando marcha ré. E vamos nós subir o morro, lá no alto, junto à quadra, imensa, com camarotes, split e o escambal. Churrasco, cerveja, tudo nos conformes. E a malandrage...

Depois de vários anos indo e voltando para o trabalho de Metro, mudei de endereço e de transporte, e passei a ir de ônibus, porta a porta. Avenida Copacabana, Rio Sul, Aterro. Ida e volta, Aterro, Rio Sul, Barata Ribeiro. O que é o Aterro? Tem mais bonito? A enseada de Botafogo com aquela quantidade de barcos, veleiros, lanchas e botes, a Urca (o que é a Urca!?) ao fundo, o morro da Viúva, a praia...

Please reload

José Paulo Pessôa

Jornalista