A religião e a intolerância.

 

Um caso de pretensa intolerância religiosa me chamou  a atenção. A história se passou na Baixada Fluminense, mais precisamente em Mesquita. Segundo consta, Patric Douglas Anjo Soares Ferreira, de 25 anos, teria sido demitido da Secretaria de Transportes do município por ter ido trabalhar vestido de branco e com adereços religiosos. Fontes da Secretaria informam que o jovem foi demitido por excesso de faltas. Como o caso já foi parar na Polícia, temos a certeza de que vai se descobrir quem tem razão.

Mas esse não é o xis do problema. A questão é até quando vamos nos deparar com esse preconceito idiota, essa intolerância entre nós, que não é só religiosa. Também é econômica, de raça, sexual e por aí vai.

Nós cariocas, fluminenses, cosmopolitas, pretensamente civilizados, temos que por o fim nesses sentimentos mesquinhos e parar de condenar pessoas só porque pensam, se vestem, falam, não rezam no mesmo credo que nós.

Vocês sabem quantos casos de intolerância religiosa foram registrados aqui no Rio de Janeiro nos últimos dois anos? Não? Aí vai: Mil casos!!! Nós, os chamados cidadãos do bem, temos que garantir os direitos humanos e de expressão da liberdade de crença e filosofia de indivíduos e instituições religiosas e comunidades tradicionais.

Aí é que está o busilis...

Please reload