Carioquices

11/05/2016

Eu sou carioca! Agora sem identidade

Há alguns anos era fácil identificar um carioca na multidão, fosse pelo sotaque, ou pelo jeito despojado.

Além disso, a cidade tinha uma identidade própria em sua moda e costumes, como o calçadão de Copacabana - com suas pedras desenhadas em forma de onda -, o mate leão, as sandálias havaianas e o biscoito Globo (ainda nossa).

Ocorre que o mundo não é mais o mesmo.  Poderíamos por culpa da globalização, falar que é tendência, ou resultado da mobilidade social etc.

Pouco importa.  O que temos é que o orgulho carioca está sendo retirado do peito do povo.

Nem os times cariocas disputam títulos importantes no Brasil e no exterior.

Caraca, o que tá acontecendo?

Hoje o mate leão não é mais carioca; virou um produto da coca-cola. As havaianas viraram S.A., e o biscoito Globo vem em saco de plástico, assim como a bala Juquinha.

Onde vamos parar? Porquê não temos mais nada do que era nosso?

Fato é que a carga tributária carioca e fluminense são um ótimo estímulo para esse êxodo.  Tanto é verdade que os veículos que prestam serviço ao Estado ostentam placa do Paraná. Por quê será?

Ainda existem cariocas orgulhosos do que têm e que brigam para manter o que é bom, como a ASAP (Associação dos Surfistas e Amigos da Prainha), que conseguiram forçar a criação de uma Área de Preservação Permanente.

Na contramão tivemos a derrota dos cariocas com a liberação da construção de um condomínio e um campo de golf em outra área, antes preservada.

Ironicamente, continua a se chamar "Riserva".

Será que tudo se resume a grana?

Pode não ser, mas é o que parece…

Please reload