Ibope e Bope

Sob o impacto do saldo positivo dos Jogos Rio 2016, saiu a primeira pesquisa para a prefeitura do Rio 2017-2020.

Pedra cantada, os Marcelos lideram a disputa, mas o do Bispo conserva boa vantagem sobre Freixo, belo capote sobre o primeiro da esquerda.  

Dita esquerda, autodenominada esquerda, porque o rótulo da saudável canhota básica, popularizada pelo refrão “arroz, feijão, saúde e educação” não comporta desvios feitos em nome dos partidos, coisa do destro Canhoto de nove dedos e seus aparelhados companheiros. E muito menos quando tais rotas encontravam os bolsos dos guerreiros e laranjas, alguns dos quais já acantonados em capital de menos Ibope turístico.

Se Crivella foi ministro da criatura de Lula, e colaborou com a Coisa Ruim de governo ao multiplicar os peixes nas águas turvas da Pesca, pasta que só reconheço a de atum, Freixo não pestanejou ao apoiar no segundo turno quem admitiu fazer o diabo para ganhar as eleições. E isso quando o estelionato eleitoral já estava mais que configurado.

E, pior, prosseguiu na sustentação da malfadada reeleita por pouca margem de votos durante todo o segundo mandato ilegítimo, cujo encerramento nos próximos dias só não será tão festivo quanto o das olimpíadas por causa do anticlímax provocado pelo minucioso rito regimental do golpe comandado pelo insuspeito presidente da Corte Suprema.

Lembrando dos ventos que sopraram aqui no Rio, em violentíssimas e intermitentes rajadas surgidas do sudoeste, que a presidenta inocenta saiba estocar toda essa energia eólica pelo sul, em terras onde bate o minuano. Tudo indica que terá oito anos de descanso político forçado para tanto.

Portanto, restará ao preferido da cidade educadora, e eternamente grevista por melhores condições de ensino, o combate aos excessos do Bope do Capitão Nascimento. O fato é que não vai dar para comandar a tropa das zelite traída no apoio explícito a quem fechou os olhos ao saque da Petrobras, e que capitaneou a destruição econômica das estatais da área energética.      

Por outro lado, o de baixo, deixando em segundo plano a substantiva margem de erro assumida pelo Ibope, o candidato do prefeito amarga a quarta posição, atrás do filho do Bolsonaro. Talvez patine nas intenções por ainda estar sob o fogo da Maria da Penha, da fúria de Maricá, dos ecos da ligação telefônica grampeada do chefe para Lula ou tudo isso junto e misturado.

Ironia do destino, PP vem juntinho com a Jandira que, por sua vez, traz o PT escondido sob as suas saias lavadas a jato, ambos à frente do programa de índio, incluído Índio da Costa, que é pedir votos ao grande público, sem dinheiro de empreiteiras amigas.  

Quanto à confusa Rede trançada por Marina por aqui, que sempre teve razoável desempenho no Rio, só há um desejo entre os simpatizantes, que demonstraram claramente que não desejam ser mais uma linha auxiliar do PT.

Parafraseando o mencionado personagem de Tropa de Elite, oficial do Bope: - pede pra sair, Molón! Garanto que o ator, amigo fraternal de Freixo, faria a cena do Bope de bom grado, pois seu candidato subiria dois preciosos pontos no Ibope.

Please reload