STF - Servos das Tradições Feudais


Tenho ouvido e lido nas últimas horas as mais diversas declarações e interpretações sobre a atitude tomada pelo STF, em especial a rasteira colegiada aplicada no companheiro de toga. A açodada criatura cometera, monocraticamente, o crime de lesa majestade contra Renan XII, o Humilde, soberano que carrega o fardo de 12 processos oriundos da república, um deles como réu, mas todas na condição de rei.

Caso típico de bullying da alta magistratura, a maioria dos ministros não seguiu o suposto desequilibrado. A decisão original, descabida no mérito e extemporânea por robusta hipótese, inspirara o colega boquirroto quando da repetição pública do adágio nordestino que ensina que não se corre atrás de doido por não se saber aonde o maluco vai.

A afronta à higidez, e não à rigidez mental do relator, conforme poder-se-ia depreender da vitória acachapante colhida pelo absolutista da cocada preta, a quem é atribuída a frase “Le Sénat c’est moi”, foi lembrada pela maioria dos presentes ao julgamento do recurso. Este foi impetrado pela mesa do senado, sob a qual o monarca alegadamente constitucional se escondera do paciente oficial de justiça.

Após a goleada do veredicto, o derrotado declarou que o STF sofrera uma desmoralização ímpar, naturalmente promovida pelos pares, sabidamente dados a conchavos duplos ao pé do ouvido.

Como prêmio de consolação à ostensiva carteirada institucional, o projeto de abuso de autoridade que visava controlar o apetite punitivo dos juízes e procuradores perdeu a urgência urgentíssima com que vinha sendo tocado. Pois que sejam sacrificados os ditos privilegiados do baixo clero da Câmara, conforme ocorreu com o cordeirinho Cunha, tosquiado em obsequioso silêncio.

Que acenem ao público com essas cabeças não coroadas como forma de amenizar os efeitos da premiada denúncia da Odebrecht, considerada a mãe de todas as delações pelos filhos da mãe, desde que a tia das operações estruturadas, presa na operação acarajé, colocou pimenta nas planilhas do apocalipse de coalizão.

Parafraseando Cabral e Adriana, vão-se 400 anéis da H Stern e Antonio Bernardo, mas ficam os dedos em riste apontados para as folhas de pagamentos do poder judiciário, sobretudo nos estados.

A redução dos salários fica, assim, suspensa, por necessitar de lastro legal para que os descontos sejam processados e não ultrapassem o STF, iniciais de Salário Teto do Funcionalismo. No frigir dos ovos, como já antecipava o titilo, o que ocorreu ontem foi uma Simples Troca de Favores, realizada Sob Togas Fiéis a Renan XII, o Senhor de Todos os Feudos.