Incentivando e fiscalizando incentivos fiscais

Na esteira das joalherias incentivadas com recursos do tesouro estadual do Rio de Janeiro, iniciativa de utilidade nada pública, benesse exclusiva visando ao desfrute do então primeiro casal, afirmo que há diversas joias incentiváveis no plano federal, a despeito da safadeza perpetrada pelo insaciável Cabral.

Sim, há preciosos trabalhos elaborados por algumas das mais ousadas lapidadoras do país. Entre outras virtudes, modelam talentos de enorme quilate. Ao contrário das duas casas que brilharam no noticiário político-policial das últimas semanas, são de inestimável valor, ao formarem pessoas e desenvolverem craques.

O fato é que, até o próximo dia 28/12, você po

 

de escolher, entre ótimas opções esportivas e culturais, onde aplicar 6% do dinheiro do seu imposto de renda devido. Em outras palavras, você poderá brincar de ser, ao mesmo tempo, o seu próprio ministro da fazenda e um verdadeiro contribuinte; isso na correta, e não na compulsória acepção da palavra, aqui sinônima de pagador de taxas e tributos.

Reconheço que a grana a ser antecipada pode ser uma merreca em termos individuais, mas pode se tornar uma bela bufunfa se somada à arrecadada pelo conjunto de outros adeptos do pacote econômico, único até aqui indolor ao bolso.  

Portanto, não só de escândalos apurados pela Operação Zelotes vivem os incentivos fiscais federais. O programa voluntário tem a vantagem adicional da fiscalização automática no próprio exercício da declaração de IR. E, o que é melhor, tudo sem o custo exorbitante de fiscais e auditores da Receita!

No projeto esportivo de excelência que resolvi incentivar, denominado Flamengo Olímpico, a severa fiscalização acerca da correta aplicação dos meus 6% será feita de forma indireta. A forma oblíqua justifica-se porque, ao conferir o futebol profissional no campo da Portuguesa reloaded, talvez no Maraca, nos diversos estádios do país, das Américas e, quem sabe, no Extremo Oriente, ao vivo ou na tevê, estarei avaliando se o dinheiro do futebol não estaria sendo drenado para financiar o esporte amador.  

Já no projeto cultural que apoiei, o Grupo Corpo, a fiscalização será feita de forma direta, com auditorias incertas no Palácio das Artes e no Theatro Municipal, pois os craques não devem repetir o olímpico show de bola oferecido no Maracanã.         

Incentive agora e fiscalize no ano que vem! Mas corra, pois essa promoção é por tempo limitado. Não vai até sábado, como é costume. Acaba impreterivelmente na quarta-feira, 28 de dezembro. Se perder a data, o seu incentivo entra em impedimento. Ou pode dançar.

Please reload