Vem pra Caixa 2

 

Não é qualquer pessoa que Geddel pedia para ir pra Caixa com ele nos tempos de harmonia entre Cunha e Dilma, só a jurídica.

E, esbanjando modéstia, gabava-se de mandar muito melhor do que os ministros que o comparsa recomendava à faxineira ética e, mais tarde, em novo filme publicitário de João Santana, à personagem Coração Valente. Adaptando o clichê para a vida fácil de Brasília, a vítima de Calero no caso do IPHAN deu mole no IPhone: - Pensando que eu sou um desses ministros que você indica?

Só depois de tudo bem no depósito das pessoas físicas é que a pessoa jurídica era contemplada pelo Conselho. Antecipando a campanha do pastor carioca da Universal, já era tempo de cuidar das pessoas.

Cui Bono, o nome da Operação que flagrou o favorecimento às empresas que não pensavam fora da Caixa, se significa “a quem beneficia” em linguagem legislativa e jurídica, no popular abreviava o cu de você também (U2), na figura do carismático vocalista Bono Vox, com todo som na Caixa em tempos de recesso.

Pelo número de frigoríficos interessados, já dava pra ver que era fria. Principalmente depois que Flávio Clepto (p invisível em vez de mudo), outro vice da Caixa, resolveu abrir a sua poupança sobre o assunto.

Please reload