Aconteceu na Província

Nosso Diário resolveu prestar uma homenagem à nossa memória, publicando anúncios de empresas que deixaram de existir, mas que fizeram parte das nossas vidas. Quem não se lembra do relógio da Mesbla marcando o tempo na rua do Passeio?

Quem poderia esquecer a VARIG, a estrela brasileira no céu azul, aquele serviço de bordo exemplar? 

E  o Rei da Voz? A Tonelux, dita sílaba por sílaba no comercial. Os porquinhos das Casas da Banha, que dançavam cha-cha-cha?

Quem já é avô, certamente se lembra da Windsor e da Torre Eiffell, lojas chiquérrimas para gente grande e também sabem que só O Principe vestia ontem o homem de hoje. Como esquecer a Brastel, que vendia tudo a preço de banana? Da Ducal, do tenho Club One, da Tavares, do supermercado Disco?

A Sears tinha um cheiro todo especial de pipoca doce e as crianças adoravam visitar a sessão de brinquedos.
Eram grandes anunciantes as cadernetas de poupança, a Delfim, a Residência, a Letra S.A. E tinha o Banco Nacional, cujo cartão de crédito vinha com o retrato do dono, e patrocinava o Jornal Nacional na Globo com um musiquinha toda alegrinha.

Banco Boavista, lembram?  Casas Oliveira, Gaio Marti, a Modern Sound.

Quem não comeu a salsicha Bel, Bel, Bel, Belprato? E quem nunca teve vontade de ter uma Brasilia, um carro feito de dentro para fora?

Pois é, foram tempos que vivem só na memória. Por que não lembrá-los ?

Please reload