Fim de expediente

18/04/2017

— É, Angorá, agora ficou complicado.

— Que apelido esses caras me arrumaram. Nunca mais vão me chamar pelo nome.

— Viu só? Mas poderia ser pior. A lista tem “todo feio”, “feia”, “amante”… Imagine o clima na casa do casal?!

— Tinha gente achando que Angorá era eu, só por causa do cabelo. Ainda bem que “Primo” não é tão marcante assim.

— Bem, vamos voltar ao foco: precisamos fazer alguma coisa pra não cair tudo de vez.

— Você pode dizer que foi traído!

— Fala sério! O “Amigo” queimou essa desculpa há anos… Mas já que estamos falando nele,  um de vocês poderia assumir tudo sozinho, que nem o Guerrilheiro, que tá lá caladão, firme e forte!

— Pô, chefe, a amizade deles é de outro tipo, coisa de adolescente, cachaçada…

— Mas se não fizermos nada, vai escorrer porta adentro do palácio e paralizar o governo. A Globo não para de repetir essa merda de minuto em minuto.

— O Atleta ligou dizendo que talvez a gente possa enquadrar esses caras em algum crime de distúrbio da ordem pública, incitação à violência, sei lá.

— Nem me fale desse cara! É um fio desencapado. Deus, onde a gente estava com a cabeça que não deu jeito nisso lá trás, bem no comecinho?

— Era o preço, chefe. Se não tivesse avançado, a gente estava até hoje no Jaburú.

— Bem, chefe, pedir demissão e sentar no colo do Moro tá fora de cogitação.

— Lá no Rio apareceu um tal de Bretas... Deve ser pra rimar com capeta.

— Mas no ano que vem o mandato de todo mundo vai acabar e não vai ter escapatória. Ou vocês estão achando que algum de nós vai se reeleger?

— Sei não, chefe, mas essa idéia da lista fechada tá ganhando força. Eu não descartaria essa possibilidade… A gente só não pode ficar apático. Vamos tocar as reformas, mudar o foco da mídia e quem sabe a gente sobrevive até 2018?

— Isso, chefe. Se o povo esquecer um pouco e passar o voto em lista, a gente tá liberado. Com nossa idade, mais um mandato e tudo isso prescreve…

— Vocês acham que daria certo?

— Claro, chefe! Essas delações vão embolar o processo no TSE. O STF não tem a menor condição de tocar esses inquéritos. Daqui a pouco a gente tá que nem o Lula naquela eleição de 2006 — absolvidos pelo voto!

— Se vocês acreditam nisso…

— E tem mais, chefe: o Gilmar tá convencido que eleição sem doação de empresas não vai dar certo. Ele só precisa de um empurrão pra reverter isso no STF. Aí vai ficar tudo mais fácil. A gente nem vai precisar vender nada pra pagar advogado…

Please reload