H2Odd - A nova fórmula da água

Sol e chuva, casamento de viúva.
Principais elementos da atual estação, quem jamais se encantou com o cheiro de terra molhada que sobe às nossas narinas com os primeiros pingos de uma fugaz chuva de verão? Tenho certeza de que, para muitos, trata-se de uma sensação extremamente prazerosa, que traz recordações não raro acompanhadas de belos arco-íris.
Pois se o caro leitor ou a estimada leitora não sabe, a população do Rio de Janeiro vem sendo brindada desde o início do verão com água com gosto de terra.
A despeito do intrínseco valor agregado, líquida madeleine proustiana que traz o tempo perdido na memória de cada consumidor, pasmem! Podemos desfrutar desses arco-íris na torneira pelo mesmo preço pago pela água incolor, insípida e inodora!
Mas sempre há os que não enxergam poesia debaixo do chuveiro ou sorvendo aquele copo d’água bem gelado, líquido ainda mais precioso quando se enfrenta sensações térmicas de 50 graus Celsius. Não por acaso o preço dos garrafões de água mineral vencem a estratosfera, levando a reboque copinhos e garrafas de todos os formatos e volumes. E até a de coco vendida na praia.
Pois agora os eternos insatisfeitos de plantão terão de se curvar às evidências.
Sim, porque está para ser apresentada na Agência de Vigilância Sanitária a refrescante Aguandu. Trata-se de um produto idealizado a partir de joint venture entre a CEDAE e o detergente Odd líquido, cuja fórmula revolucionária já contempla o produto no conduto hidráulico, chegando às cisternas, caixas, vasilhames, moringas e quaisquer recipientes nas mesmas condições de higiene com que sai da estação de tratamento VIP.
Como passei a ser um irrecuperável otimista depois de um coaching básico patrocinado pela disputada estatal estadual, treinamento elaborado a partir de coliformes fecais oriundos de depoimentos de Zé de Abreu, inclusive cusparadas, olho sempre qualquer problema pelo prisma do copo cheio ou vazio.
E nesse singular media training pudemos enxergar o copo d’Aguandu de forma literal, 50% cheio pelo meu ângulo de visão. Até porque, na divisão de tarefas domésticas, costumo lavar a louça aqui de casa.
De sorte que agora, como o copo meio vazio já vem lavado, depois de me deliciar com o copo meio cheio sabor geosmina, nome fantasia da bactéria amiga, basta a mim a tarefa de emborcar o dito cujo e colocá-lo no escorredor.
Se a Bombril, concorrente fabricante do Limpol, alega ter 1001 utilidades a sua palha de aço, a água captada a montante das comportas tem nova fórmula- H2Odd -, estrutura molecular que há de reduzir bastante os atributos do gabola e exibido carro chefe da marca adversária.
Aqui do meu canto, fora do glamoroso mundo da propaganda, peço a Santo Antônio, o santo casamenteiro, que arranje logo um noivo para a viúva CEDAE.

Please reload